Relacionamentos: Você é um (a) manipulador (a) vitimista? Faça o teste e descubra!

Créditos: Claudia Wolff on Unsplash

Será que você está preso em sua própria novela mexicana?

Sabe aquela pessoa que sempre responde ao “oi, tudo bem?” contando um problema, um conflito ou situação injusta que está vivendo – ou mesmo os três? Pois bem, talvez ela possua um tipo de personalidade classificado como NFD (“Need for Drama” em inglês ou “Fome de drama”, em tradução livre).

A classificação, criada pelo professor da Universidade Midwestern State Scott Frankowski, abrange pessoas que possuem “tendências ao drama”, digamos assim. Ou seja, com elas, a conversa sempre será levada a um nível triste, derrotista, na qual invariavelmente são vítimas da vida e do mundo a seu redor.

A NFD possui três componentes: a “manipulação interpessoal”, que é uma tendência de controlar ou manipular outras pessoas; a “franqueza impulsiva”, o hábito de falar abertamente em momentos inadequados; e a “eterna visão de vitimização”, uma inclinação para acreditar que alguém é vítima em situações que outros considerariam benignas. Sem surpresa, também há uma razoável correlação entre a NFD e a fofoca, diz Frankowski.

Embora a definição de “drama queen” seja usada majoritariamente para definir mulheres, o pesquisador afirma que a tendência à NFD é detectada em mesma intensidade nos dois sexos.

A mente de um NFD

Para Frankowski, um NFD é composto pela chamada “Tríade Negra”, uma mistura entre narcisismo, maquiavelismo e psicopatia.

“Há uma forte relação entre o maquiavelismo e a vitimização persistentes nos NFDs”, diz o professor. “Aqueles que sempre se sentem vítimas também tendem a utilizar a manipulação fria e calculista para atingir seus objetivos. “Bancar a vítima” pode ser um modo de fazê-lo.”

Como surge um NFD?

Um NFD nasce assim? Segundo a terapeuta Rachel Wiss, talvez não.

“Geralmente características como essas evoluem em nossa família de origem”, diz Rachel. “As pessoas podem desenvolver maneiras disfuncionais de se comportar, como criar drama/ tristeza em suas vidas, na tentativa de preencher alguma necessidade emocional que não foi satisfeita durante a infância.”

Embora criar tal tipo de mobilização possa gerar estresse, parece confortável e familiar àquele que viu ser essa a única maneira de ser visto e ouvido, ainda que possa trazer problemas.

Existe algum modo de tratamento?

Mas há esperanças de que um NFD possa deixar de portar-se assim em algum momento – pessoas mais velhas têm pontuação mais baixa no teste de avaliação do que as mais jovens, diz Frankowski.

No entanto, para aqueles que desejam uma solução mais rápida, Wiss recomenda a terapia de grupo.

“[A terapia] pode ajudar o portador a entender essas situações dramáticas em um ambiente seguro, diminuindo seu ritmo antes que o nível de drama/ tristeza fique muito alto. É uma chance de perceber suas próprias intenções através da interação com outras pessoas. Muitas vezes há uma incompatibilidade entre a intenção e o que acaba sendo comunicado, o que pode deixar aqueles com grande necessidade de drama se sentindo isolados e vitimizados, e isso o ajudará a enxergar melhor a situação.”

Você é um vitimista? Faça o teste!

Os atributos de um NFD são medidos através de uma escala. Encontre sua pontuação respondendo ao teste deste modo:

Avalie o quanto você concorda com cada afirmação em uma escala de 1 a 7, entre discordo totalmente (1), discordo (2), discordo parcialmente (3), neutro (4), concordo parcialmente (5), concordo (6), concordo totalmente (7).

  1. Às vezes acho divertido irritar as pessoas.
  2. Às vezes, digo algo ruim sobre alguém na esperança de que essa pessoa descubra o que eu disse.
  3. Eu digo ou faço coisas apenas para observar a reação alheia.
  4. Às vezes, jogo as pessoas umas contra as outras para conseguir o que quero.
  5. Eu espero um pouco antes de falar o que penso.
  6. Eu sempre falo o que penso, mas pago por isso mais tarde.
  7. É difícil para mim não expressar minha opinião.
  8. Pessoas que agem como meus amigos me apunhalaram pelas costas.
  9. As pessoas costumam falar de mim pelas minhas costas.
  10. Muitas vezes me pergunto por que coisas tão insanas acontecem comigo.
  11. Sinto que há pessoas na minha vida que querem me fazer mal.
  12. Muitas pessoas me fizeram injustiças.

Primeiro, aplique uma pontuação invertida na quinta questão (conte 7 como 1 e 6 como 2, por exemplo).

Em seguida, some todos os números e divida por 12. A pontuação média do NFD é cerca de 3,40, diz Frankowski. Se sua média for 5, você tem uma pontuação NFD mais alta do que cerca de 95% da população.

Para estar informado sobre o assunto, visite diariamente a seção “Relacionamentos” na revista “O Mundo Online“, e siga-nos no Instagram e no Facebook.