Segundo o Daily Mail, a empresa de fretamentos proprietária do helicóptero em que faleceu o jogador Kobe Bryant não era certificada para voar sob condições em que pilotos usassem somente instrumentos na cabine.

A empresa em questão, chamada Island Express Helicopters, possui certificação apenas para viajar apenas em situações onde seus pilotos possam ver claramente fora da aeronave durante o dia.

Embora o piloto possuísse licença para voar com uso de instrumentos, ele não teria autoridade legal para esse voo em especial em virtude de a empresa não ter a certificação da Administração Federal de Aviação, de acordo com o New York Times.


Kurt Deetz, piloto e ex-gerente de segurança da empresa, disse que o piloto provavelmente tinha pouca experiência em vôo instrumental, dadas as limitações operacionais da empresa.

Os detalhes sobre a falta de certificação da empresa levantam questões sobre o motivo pelo qual o piloto não apresentou um plano de voo por instrumentos que lhe permitisse subir acima do nevoeiro a caminho de seu destino.

Fontes dizem que não é incomum para as empresas, especialmente no sul da Califórnia, ter limitações nas certificações para voos por instrumentos, dado que o tempo normalmente está ensolarado e limpo.