Poliamor: Colton Winder já sofreu com depressão e ideias suicidas em virtude da poligamia


Uma das histórias de “Poliamor: A Próxima Esposa” envolve a família Winders, formada por Colton e suas duas esposas, Tami e Sophie. O trio, que vive no Sul de Utah, buscava por uma terceira esposa.

Em uma postagem autobiográfica, Colton contou um pouco de sua convivência com a religião e a poligamia.

Colton Winder explicou que a base de sua criação foi a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e que foi exposto a visões muito negativas de casamentos plurais, ou seja, aqueles onde existe mais de uma esposa.


Depois de mais velho, Winder precisou lidar com o conflito da ideia da “poligamia” em sua cabeça, o que o levou a abandonar a igreja e entrar em uma atmosfera de depressão e pensamentos suicidas.

Tami, sua primeira esposa, ajudou-o a lidar com seus problemas e superar a depressão. Só então os dois começaram a considerar a possibilidade de haver uma segunda esposa e, assim, Sophie chegou a suas vidas.

Embora a Igreja dos Santos dos Últimos Dias tenha abolido a ideia da poligamia, muitos Mormons ainda a praticam, como no caso de Colton.

Ele também conta que a depressão e a ansiedade ainda o acompanham graças à ideia da poligamia, embora saliente ser muito feliz ao lado de suas esposas e de sua pequena filha.

Para estar informado sobre o assunto, visite diariamente a revista “O Mundo Online” ou siga-nos no Instagram, no Facebook e no Twitter.

Escolha um reality para pesquisar: